Parnasianismo e Simbolismo

Diante das cobranças das minhas crianças do segundo ano, estão aqui posts sobre Realismo, Naturalismo, Parnasianismo e Simbolismo. O tempo está curto então não tive tempo de fazer bonitinho, bem organizado e completo. Esse post aqui foi um ctrl C – ctrl V de um livro, mas muito bom livro e vai valer a leitura.

PARNASIANISMO

Torce, aprimora, alteia, lima

A frase; e, enfim,

No verso de ouro engasta a rima

Como um rubim.

(Olavo Bilac)

 As principais características do Parnasianismo são: a contenção lírica, o culto da forma e a valorização da arte pela arte.

A contenção lírica é provocada pela busca de uma impessoalidade objetiva, que faz com que a emoção ceda lugar à sobriedade. O temor à exteriorização dos acontecimentos, considerada vulgar, fez com que, em muitas composições, a pretendida sobriedade se transformasse em impassibilidade, que marmoriza o verso.

O culto à forma, ilustrado pelo fragmento do poema “Profissão de fé” de Olavo Bilac (1865-1918), manifesta-se na excessiva preocupação com a técnica. As composições de forma fixa, como o soneto, haviam sido abandonadas no Romantismo para permitir maiores recursos de expressividade ao poeta. Retornam altamente valorizadas no Parnasianismo e, com elas, o verso alexandrino de doze sílabas. O rigor da forma reduz as licenças poéticas, a arte torna-se artesanal, trabalho de ourives, conforme as referências de Bilac no fragmento destacado. Difícil se torna revestir de graça e simplicidade uma peça que a disciplina das formas fixas e o exaustivo controle das combinações sonoras tomou sem espontaneidade, embora revestida de elegância. O poeta, segundo a concepção do estilo, era um artista com pleno domínio da ideação e da execução do poema, e não um vate, como queriam os românticos, guiado pela inspiração provinda de outras esferas.

A arte pela arte, de que já falamos em relação ao Neoclassicismo, é o princípio de que a arte não tem outro objetivo senão a expressão da beleza. O artista exclui-se da sociedade, vivendo apenas para sua arte. A preocupação social desaparece da poesia.

 PARNASIANISMO

• Características do Parnasianismo: — rigor formal

— impessoalidade

— contenção lírica

— presença da cultura

clássica

— arte pela arte

 SIMBOLISMO

 Ó Formas alvas, brancas, Formas claras

de luares, de neves, de neblinas!…

…………………………………………………………

Formas do Amor, constelarmente puras,

…………………………………………………………

(…) as mais azuis diafaneidades.

(Cruz e Sousa)

 O Simbolismo floresceu, na Europa, nos anos 80 e 90 do século passado. Na mesma época em que os pintores impressionistas iniciavam a diluição dos contornos dos objetos nos jogos de luz, os poetas simbolistas renunciavam à tradução da forma fixa do objeto em favor do ritmo do devir, da fugacidade do momento. Buscavam a expressão de algo que escapa a uma forma definida e não é abordável por um caminho direto.

Pintura Impressionista

 Rimbaud (1854-1891), vendo na palavra um fim em si, concebe-a como símbolo de experiências sobrenaturais, usado não pelo propósito comum de troca, o que supõe a atribuição à palavra de um valor definido, mas atribuindo-lhe o poder de evocar associações. Foi esse expoente do Simbolismo francês quem disse:

 o poeta é um vidente por um longo, imenso e irracional desregramento de todos os sentidos.

 A essência dessa concepção é a crença em um mundo ideal, na acepção platônica, que só é realizável através da beleza. Antes de 1890, o Realismo já entrara em decadência.

Contraposto a ele, surge o gosto pela religiosidade e pelo incompreensível. Pela aproximação à concepção platônica de que o mundo sensível não é o real, a coisa em si não será, para o simbolista, o elemento principal a ser expresso, mas sim sua essência. Esta, porém, poderá ser apenas sugerida, e o perfeito uso dessa sugestão é o que constituirá o símbolo.

A palavra, antes presa a uma sintaxe ordenada — reflexo de uma concepção do mundo como uma estrutura lógica —, com a opção do simbolista pelo indefinido e pelo misterioso, liberta-se da ordem frasal e carrega-se de sugestividade irracional. Ela passa, então, a valer pela sua sonoridade, pois atribui-se a sons e ritmos a propriedade de estimular a imaginação para que a Idéia seja apreendida.

 Em síntese, o poeta simbolista caracteriza-se pela concepção mística do mundo; pelo interesse no particular e no individual, em lugar do geral que interessava aos realistas e parnasianos; pelo escapismo em que se aliena da sociedade contemporânea; pelo conhecimento ilógico e intuitivo; pela valorização da arte pela arte; pela utilização da via associativa.

Pintura Simbolista

 SIMBOLISMO

• Fator influente: — crise da concepção positivista da vida

• Características: — concepção mística do mundo

— interesse pelo indefinido e pelo mistério

— interesse pelo particular

— alienação do social

— flexibilidade formal

— conhecimento ilógico e intuitivo

— arte pela arte

 * Texto retirado do livro:

 PERÍODOS LITERARIOS

Lígia Cademartori

Série Princípios

Editora Ática

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s